Ficha do produto
História Abreviada da Literatura Portátil
Código: 79344
Última edição: março de 2013
N.º de páginas: 112
Editor: Assírio & Alvim
ISBN: 978-972-37-1682-5
Em stock - Envio imediato
PÁGINAS
 

Sobre o livro

Sinopse
Livro de culto na obra de Enrique Vila-Matas, surgem aqui algumas marcas que perpassam toda a sua obra, como a exploração de biografias, verdadeiras ou imaginárias, de personagens escritores. História Abreviada da Literatura Portátil é uma vibrante história das vanguardas do século XX, onde se narra o percurso de um grupo de intelectuais que, em 1924, decide fundar uma sociedade secreta. Encontravam-se entre estes Duchamp, F. Scott Fitzgerald, Walter Benjamin, Cesar Vallejo, Man Ray, Tristan Tzara, Valery Larbaud, Federico García Lorca e muitos outros.

Conhecidos como portáteis, ou shandys, em homenagem ao Tristram Shandy de Laurence Sterne, este grupo, obscuro e extremamente seleto, cultiva ideais como o amor à escrita, a diversão, o espírito inovador e a autoria de obras, literárias ou plásticas, que possam caber facilmente numa pequena mala: portáteis.

História Abreviada da Literatura Portátil aposta decididamente numa imaginação radical, excêntrica, operando com suficiente eficácia para que a ficção se comprometa com a inteligência do ensaio.

História Abreviada da Literatura Portátil de Enrique Vila-Matas

Detalhes do produto


História Abreviada da Literatura Portátil de Enrique Vila-Matas

Ano de edição ou reimpressão: 2013

Editor: Assírio & Alvim

Idioma: Português

Dimensões: 147 x 205 x 11 mm

Encadernação: Capa mole

Páginas: 112

Classificação: Romance

 

Outros livros

Bibliografia

2016  Assírio & Alvim
2016  Assírio & Alvim
2015  Assírio & Alvim
2015  Assírio & Alvim
2014  Assírio & Alvim
2014  Assírio & Alvim
2014  Assírio & Alvim
Enrique Vila-Matas nasceu em Barcelona em 1948. Em 1968 foi viver para Paris, auto exilado do governo de Franco e à procura de maior liberdade criativa. O apartamento onde se instalou foi-lhe alugado pela escritora Marguerite Duras. Durante esse anos subsistiu realizando pequenos trabalhos como jornalista para a revista "Fotogramas", e chegou a colaborar como figurante num filme de James Bond.
Vila-Matas publicou o seu primeiro livro, "La Asesina Ilustrada", em 1977, e desde então não mais deixou de escrever porque, de acordo com o que o próprio afirmou, "escrever é corrigir a vida, é a única coisa que nos protege das feridas e dos golpes da vida."
Com a publicação de "História Abreviada da Literatura Portátil" começou a ser reconhecido e admirado no âmbito internacional, especialmente nos países latino-americanos e Portugal.
As suas obras são uma mescla de (...)