POEMA DO DIA
31 de Agosto de 2015
[…]
Quando reflicto sobre quão reais e verdadeiras são para o louco as coisas da sua loucura, não posso deixar de concordar com a essência da declaração de Protágoras de que «o homem é a medida de todas as coisas».

Fernando Pessoa (1888-1935)
Aforismos e Afins
(edição e prefácio de Richard Zenith, tradução de Manuela Rocha)