POEMA DO DIA
28 de Maio de 2016
Uma Criança Pode Não Encontrar
Uma criança pode não encontrar palavras para a sua dor
Mas à noite pode ouvir estranhos presságios de consolação
Que as pedras feridas conhecem de encontro à terra
Ou pode aprender que as pedras também podem falar
Duramente com o seu coração despedaçado.
No armário está o rugido do mar
E uma censura que é consolo
Pois é uma censura a menos

Se eu soubesse então o que sei agora
Teria vivido?

Entre ele e a morte
Está talvez a única cura —
O problema de amanhã não será resolvido
Permanecerá sempre como um mistério maior
E sobre a fornalha, olhando o inferno
Está o futuro — nas caldeiras talvez —
Quem sabe… Há chamas, e aí
Vejo, a arder, o meu país condenado
E o que vai acontecer eles nunca saberão.
Este era um tempo irreal.

Só agora compreendo a sua tragédia…

Malcolm Lowry (1909-1957)
As Cantinas e Outros Poemas do Álcool e do Mal
(selecção e tradução de José Agostinho Baptista)