2022-07-14

A passagem dos tempos literário e familiar

Pardais é o novo livro de poesia de Adília Lopes no catálogo da Assírio & Alvim

Partilhar:

Neste seu regresso às reflexões do quotidiano, Adília Lopes ensina-nos as vantagens de aprender a escrever com os Pardais: um dizer livre e espontâneo, num redemoinho de memórias de lugares e pessoas, objetos, palavras e, certamente, de um certo piar desse pássaro encantador. Este lote de novos poemas é uma reflexão íntima sobre a passagem dos tempos literário e familiar, contando com desenhos inéditos feitos por Adília Lopes, com a mão esquerda.

 

O livro já se encontra em pré-venda e estará disponível nas livrarias a 28 de julho.

 

Na montra de um café de Lisboa está escrito:

A Vida é Super

Também acho.

 

SOBRE A AUTORA

Adília Lopes, pseudónimo literário de Maria José da Silva Viana Fidalgo de Oliveira, nasceu em Lisboa, em 1960. Frequentou a licenciatura em Física, na Universidade de Lisboa, que viria a abandonar quando já estava prestes a completá-la. Começa a publicar a sua poesia no Anuário de Poetas não Publicados da Assírio & Alvim, em 1984. Antes disso, em 1983, começa uma nova licenciatura, em Literatura e Linguística Portuguesa e Francesa, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Pelo meio, antes de a terminar, publica o seu primeiro livro de poesia, Um Jogo Bastante Perigoso, em edição de autor (1985). Da sua extensa obra poética, destacam-se ainda os títulos Irmã Barata, Irmã Batata (2000), Manhã (2015), Bandolim (2016), Estar em Casa (2018) ou ainda Dobra (2021), a mais recente reunião da sua obra publicada, incluindo inéditos. Tem colaborado em diversos jornais e revistas, em Portugal e no estrangeiro, com poemas, artigos e poemas traduzidos.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK