2020-11-22

Os quase santos

Partilhar:

Invocavam os deuses
da imperfeição por humildade
e nada omitiam
em suas orações
mas também praguejavam com furor
assim se levantavam
e assim se deitavam
benzendo a toda a hora os alimentos
nunca os vi de alma vazia
seus louvores marejavam
os olhos e a alma e desse modo
se aproximavam do mel e da fruta
habitavam numa morada branca
lamentando com sincera mágoa
a persistente incompletude
dos seus actos
o silêncio afinal tão vulnerável
aos ruídos do mundo
mas com o tempo habituaram-se
à imperfeição
que lhes parecia divina
que deus lhes perdoe

Manuel Afonso Costa
Seria Sempre Tarde

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK