2018-02-02

Rente ao Dizer

Livro de Eugénio de Andrade regressa às livrarias em fevereiro

Partilhar:

Rente ao Dizer é o novo livro da coleção «Obras de Eugénio de Andrade», que a Assírio & Alvim publica a 8 de fevereiro. Revelada pela primeira vez em 1992, assinalando os cinquenta anos de atividade literária do poeta, é uma obra que uma vez mais nos traz a intensa relação deste com a palavra, a sua paixão, como nos diz Federico Bertolazzi no prefácio a esta edição, «pela língua, pelo uso exacto das palavras, pela dicção justa e necessária».


Rumor do mundo

As palavras, vício torpe, antigo. As últimas? As primeiras?
Como os ouriços
abrem-se ao rumor do mundo:
o sol ainda verde dos limões,
os esquilos
de outras tardes, o latido
da chuva nas janelas,
os velhos em redor do lume
– nunca foram tão belas.

O AUTOR

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, nasceu a 19 de janeiro de 1923 no Fundão. Em 1947 ingressou na função pública, como funcionário dos Serviços Médico-Sociais, e em 1950 fixou residência no Porto. Manteve sempre uma postura de independência relativamente aos vários movimentos literários com que a sua obra coexistiu ao longo de mais de cinquenta anos de atividade poética. Revelou-se em 1948, com As Mãos e os Frutos, a que se seguiria, em 1950, Os Amantes sem Dinheiro (já publicados pela Assírio & Alvim). Os seus livros foram traduzidos em muitos países e ao longo da sua vida foi distinguido com inúmeros prémios, entre eles o Prémio Camões, em 2001.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK