2021-01-14
[Estou a um palmo da parede. Pergunto — se queres saber o que oiço —]

Estou a um palmo da parede. Pergunto — se queres saber o que oiço —
O que disseste a Elias: Elias
O que fazes aqui?

Sim, alteio os meus olhos
Conto-te o que nunca escrevo nos muros
Junto-me aos animais com sede

Estou a um palmo do teu palmo e depois
Não estás nas águas nem na sede ou no teu nome

Estou a um palmo do teu silêncio e alteio
O silêncio. A boca mais alta do meu grito

Daniel Faria (1971-1999)
Poesia
(edição e prefácio de Vera Vouga)

Partilhar:
Poesia
Poesia
Daniel Faria

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK