Poemas

Poemas

avaliação dos leitores (2 comentários)
(2 comentários)
Formatos disponíveis
13,30€
-10%
24H
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
24H
EM
STOCK
13,30€
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio 24H

SINOPSE

Uma excelente antologia de um dos maiores poetas do século XX, com seleção e tradução de Eugénio de Andrade.

O SILÊNCIO
Ouve, meu filho, o silêncio.
É um silêncio ondulado,
um silêncio
donde resvalam ecos e vales,
e que inclina a fronte
para o chão.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Dois poetas
Emanuel Guerreiro |2017-04-28
Entre a composição original de Lorca e a tradução cuidada de Eugénio de Andrade, este livro permite o conhecimento do poeta espanhol e embala-nos nas palavras do poeta português: «Deixa-me a tua lembrança,/deixa-ma só no meu peito.».
Lindíssimo
Inês V. |2016-03-21
Um livro que nos inspira e nos encanta com a sua beleza. Recomendo a todos os amantes de poesia!

DETALHES DO PRODUTO

Poemas
ISBN:978-972-37-1709-9
Edição/reimpressão:02-2018
Editor:Assírio & Alvim
Código:79366
Idioma:Português
Dimensões:147 x 205 x 11 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:112
Tipo de Produto:Livro
Federico García Lorca (Fuente Vaqueros, 1898-Granada, 1936), foi poeta e dramaturgo, conhecido também como músico e artista. Nascido na Andaluzia, estudou Direito em Granada e transferiu-se mais tarde para Madrid, onde fez amizade com artistas como Luis Buñuel e Salvador Dalí e os poetas Rafael Alberti e Juan Ramón Jiménez. Aí publicou os seus primeiros poemas. Concluído o curso, foi para os Estados Unidos e para Cuba, período turbulento em que escreveu os seus poemas surrealistas. Voltando a Espanha, criou um movimento de teatro chamado La Barraca. Foi ainda um excelente pintor, compositor e pianista. Como autor de teatro, Lorca fez incursões no drama histórico e na farsa antes de obter sucesso com a tragédia. As três tragédias rurais passadas na Andaluzia, Bodas de Sangue (1933), Yerma (1934) e A Casa de Bernarda Alba (1936) asseguraram a sua posição como grande dramaturgo.
Em julho de 1936, alarmado pelo começo da Guerra Civil, Lorca deixou Madrid e partiu para Granada, mas a sua premonição de uma morte fatal, que atravessa toda a sua obra, concretizou-se quando, numa noite, foi assassinado por nacionalistas.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK