Flor Brilhante

Flor Brilhante

ISBN: 978-972-37-0962-9
Edição/reimpressão: 11-2004
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78111
ver detalhes do produto
16,00€ I
-10%
24H
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
24H
EM
STOCK
16,00€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Em stock - Envio 24H

SINOPSE

Surpreenderá que esta mulher repartida por uma actividade intensa e, quase sempre, genial, que esta menina dos barões de Bermershein que ingressou aos oito anos num convento para "ressuscitar com Cristo na glória da imortalidade" e, depois, foi tudo, abadessa, escritora, música, visionária, pintora, que esta mulher espiritual que influenciava coroados e pontífices e se tornou, mesmo com os votos de clausura, viajante numa cristandade assombrada por tensões, nos idos do décimo segundo século, era afinal alguém de saúde frágil, de fisionomia insegura, atormentada por uma excessiva sensibilidade às condições climatéricas e aos fenómenos naturais. Diz-se que isso terá despertado em Hildegard [1098-1179] capacidades extraordinárias de percepção das forças biológicas e psíquicas e das suas subterrâneas correlações. O certo é a natureza lhe ter revelado as suas virtudes curativas e o Espírito os seus mistérios sobrenaturais.
[…] Neste pequeno "corpus" eucológico, que agora se dá à estampa sob o título "Flor Brilhante", encontram-se textos que pertencem à eucologia "menor" - antífonas e responsórios -, e àquela designada "maior" - hinos e sequências. […] A presente tradução foi realizada a partir do texto latino, conforme à edição crítica de Symphonia editada por Barbara Newman (New York: Cornell University Press, 1998). (J.F.C. e J.T.M.)
Este volume inclui sete reproduções a cores de iluminuras de Hildegard von Bingen.
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Flor Brilhante
ISBN: 978-972-37-0962-9
Edição/reimpressão: 11-2004
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78111
Idioma: Português
Dimensões: 145 x 204 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 208
Tipo de Produto: Livro
Surpreenderá que esta mulher repartida por uma atividade intensa e, quase sempre, genial, que esta menina dos barões de Bermershein que ingressou aos oito anos num convento para "ressuscitar com Cristo na glória da imortalidade" e, depois, foi tudo, abadessa, escritora, música, visionária, pintora, que esta mulher espiritual que influenciava coroados e pontífices e se tornou, mesmo com os votos de clausura, viajante numa cristandade assombrada por tensões, nos idos do décimo segundo século, era afinal alguém de saúde frágil, de fisionomia insegura, atormentada por uma excessiva sensibilidade às condições climatéricas e aos fenómenos naturais. Diz-se que isso terá despertado em Hildegarda capacidades extraordinárias de perceção das forças biológicas e psíquicas e das suas subterrâneas correlações. O certo é a natureza lhe ter revelado as suas virtudes curativas e o Espírito os seus mistérios sobrenaturais.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK