Guarda Minha Fala para Sempre

Guarda Minha Fala para Sempre

avaliação dos leitores (2 comentários)
(2 comentários)
ISBN: 978-972-37-0397-9
Edição/reimpressão: 07-2005
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78546
ver detalhes do produto
15,50€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
15,50€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

A fala, a poesia, as palavras verdadeiras são do grande poeta russo Ossip Emilievitch Mandelstam. Foram dadas pela primeira vez ao público nesta bela antologia de poesia e prosa, em edição bilingue, com tradução de Nina e Filipe Guerra. Mandelstam é um caso sério da grande poesia: poesia carnal, vigorosa, musical, hermética e cheia de referências clássicas. Não admira que o estalinismo tenha caído sem piedade sobre este grande poeta que aspirava apenas a um lugar onde pudesse escrever os seus poemas. O medo tomou conta dos seus caminhos e, depois da sua voz e da sua lucidez, tolhido pelo medo e pela miséria, é desterrado para a Sibéria. Morreu não se sabe bem quando ou onde, entre comboios fumegantes na neve, transportando deportados esfomeados aos quais tentara roubar o pão, convencido de que a sua ração estaria envenenada. Mas nós guardaremos a sua fala para sempre.

Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Incrível.
D. | 2018-10-19
Um grande livro. Excelente.
Para sempre, sim.
PH | 2018-08-30
As duras experiências de perseguição e desterro estão tecidas em grande parte dos seus escritos, e talvez ainda mais explicitamente na prosa que deixou. Como Nina e Filipe Guerra nos lembram, na introdução, “o destino de Mandelstam estava traçado: Stálin, que chegou a pensar domesticar o poeta, fazer dele mais um bobo da corte, agora já não aceitava louvores poéticos: ser liquidado aos poucos, desaparecer imperceptivelmente para não deixar rastro, era o destino deste, e de outros poetas” "Vivemos sem sentir o país sob os pés, Nem a dez passos ouvimos o que se diz, E quando chegamos enfim à meia fala O montanheiro do Krémlin lá vem à baila."

DETALHES DO PRODUTO

Guarda Minha Fala para Sempre
ISBN: 978-972-37-0397-9
Edição/reimpressão: 07-2005
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78546
Idioma: Português
Dimensões: 145 x 206 x 14 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 240
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Literatura > Poesia

Óssip Mandelstam nasceu em Varsóvia, em janeiro de 1891, numa família judaica pequeno-burguesa. Em 1894 a família passou a viver nos arredores de Petersburgo, e depois, em 1897, na própria cidade, onde Mandelstam frequentou a famosa escola de Ténichev. Foi aí que o futuro poeta entrou no mundo da tradição poética russa e da cultura estética nova. Terminado o curso da escola, viajou pela Europa, viveu dois anos em Paris (1907-1908), visitou a Suíça, a Itália e a Alemanha. Em 1913 foi editado o seu primeiro livro de poemas, Pedra, ainda muito influenciado pela tendência dominante simbolista. Em 1911, Mandelstam integrou o novo grupo literário em que entraram, entre outros, os poetas Nikolai Gumiliov, Anna Akhmátova e Serguei Gorodétski. Um ano depois, a nova corrente literária, surgida como uma superação lógica do simbolismo, foi batizada de «acmeísmo». Mandelstam foi uma das muitas vítimas da repressão estalinista. O poeta, que tinha inicialmente um grande entusiasmo pela primeira revolução russa de 1905 e pela atividade política dos socialistas-revolucionários, já não podia compactuar com a doutrina política de um regime que fuzilou Nikolai Gumiliov em 1921. Assim, passou vários anos exilado, cumprindo sentenças por «atividades antissoviéticas e contrarrevolucionárias», acabando por morrer num campo de trânsito nos arredores de Vladivostok em dezembro de 1938.

Ver Mais