Obra Completa

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Formatos disponíveis
44,00€ I
39,60€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
44,00€ I
39,60€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I EM STOCK
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

A importância de um dos maiores dinamizadores da língua portuguesa, Francisco de Sá de Miranda, tem «sido reafirmada ao longo dos tempos através de leituras que lhe reconhecem tanto o respeitável estatuto de cultor e porta-voz da modernidade renascentista e das inovações classicistas, removendo da lírica portuguesa a matriz medieval em que esta perdurava com as redondilhas de gosto vulgar, bem como a mais-valia da sua inquebrável moralidade estoica». Assim se publica agora a sua Obra Completa, fixada e profusamente anotada por Sérgio Guimarães de Sousa, João Paulo Braga e Luciana Braga.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Um clássico
joaquim moreira | 2021-05-26
Não será certamente para uma leitura tipo romance, mas é bom poder contactar com um Autor marcante, uma personalidade original, lendo um ou outro texto ao sabor, por exemplo, do tempo quente do verão que aí vem, quando "...caem com calma as aves".

DETALHES DO PRODUTO

Obra Completa
ISBN: 978-972-37-2162-1
Edição/reimpressão: 04-2021
Editor: Assírio & Alvim
Código: 79218
Idioma: Português
Dimensões: 170 x 245 x 40 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 680
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Livros > Literatura > Poesia
Francisco de Sá de Miranda nasceu a 28 de Agosto de 1481, na cidade de Coimbra. Formado em Direito na Universidade de Lisboa, foi a sua índole humanista e o seu amor pelas Letras que o fizeram viajar até Itália, em 1521, para conhecer de perto as raízes renascentistas. Cultivando «a medida velha», o poeta irá escrever algumas das composições recolhidas no Cancioneiro Geral (1516), de Garcia de Resende. Mas a sua adesão entusiástica ao pensamento e novas formas literárias da época, fá-lo trazer dessa sua longa viagem o dulce stil nuovo para Portugal. Assim se torna exímio na composição tanto do vilancete e cantiga, como do soneto e sextina. Morre em 1558, após uma vida cheia e pautada pelos valores morais que sempre defendeu.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK