Poesia

Poesia

avaliação dos leitores (10 comentários)
(10 comentários)
ISBN:978-972-37-1844-7
Edição/reimpressão:04-2019
Editor:Assírio & Alvim
Código:79307
ver detalhes do produto
22,00€I
19,80€I
-10%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
22,00€I
19,80€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO IMEDIATO
IEm stock - Envio 24H
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura.

O presente volume reúne toda a poesia de Daniel Faria e dá a conhecer ao público, pela primeira vez, treze poemas inéditos. A edição é de Vera Vouga, professora do poeta que acompanhou os seus primeiros passos literários. Este livro integra o Plano Nacional de Leitura: Ensino Secundário - sugestões para leitura autónoma.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

“Mas não me importo de dormir ao relento entre as tuas mãos.”
Sofia Micalli |2018-10-26
Daniel Faria deixou-nos cedo demais. Tinha 28 anos e tanto para escrever. “Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou”, diz no inicio de um poema (Explicação da Ausência) A poesia de Daniel Faria revela vocação mística, simbolismo, muitas leituras e um vasto conhecimento do Homem/Mundo. A sua poesia é mais velha do que ele. Contém mais experiência do que os poucos anos vividos.
uma voz com futuro
Rui Vieiro |2018-08-01
Daniel Faria, é um trovão numa tarde de verão, os elementos nacionais,a sua paisagem humana e emocional, e uma sede sem limites faz da voz de Daniel Faria acima de tudo fala, não do que muda, mas sim o que permanece, e tão é importante nestes nossos dias. Rui Vieiro

DETALHES DO PRODUTO

Poesia
ISBN:978-972-37-1844-7
Edição/reimpressão:04-2019
Editor:Assírio & Alvim
Código:79307
Idioma:Português
Dimensões:152 x 212 x 36 mm
Encadernação:Capa dura
Páginas:464
Tipo de Produto:Livro
Daniel Augusto da Cunha Faria nasceu em Baltar, Paredes, a 10 de Abril de 1971. Frequentou o curso de Teologia na Universidade Católica Portuguesa - Porto, tendo defendido a tese de licenciatura em 1996. No Seminário e na Faculdade de Teologia criou gosto por entender a poesia e dialogar com a expressão contemporânea. Licenciou-se em Estudos Portugueses na faculdade de Letras da Universidade do Porto. Durante esse período (1994 - 1998) a opção monástica criava solidez. A partir de 1990, e durante vários anos, esteve ligado à paróquia de Santa Marinha de Fornos, Marco de Canaveses. Aí demonstrou o seu enorme potencial de sensibilidade criativa encenando, com poucos recursos, As Artimanhas de Scapan e o Auto da Barca do Inferno. Faleceu a 9 de Junho de 1999 quando estava prestes a concluir o noviciado no Mosteiro Beneditino de Singeverga.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK