Vertentes do Olhar

avaliação dos leitores (2 comentários)
(2 comentários)
Formatos disponíveis
11,00€ I
-10%
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
EM
STOCK
11,00€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I EM STOCK

SINOPSE

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura.

Composto por poemas em prosa, «Vertentes do Olhar» é composto por poemas que abarcam mais de quarenta anos de produção poética do autor. «Entre o mais antigo poema deste livro ("Fábula", 1946) e o mais recente ("A Sereia do Báltico", 1988) passaram mais de quarenta anos. É uma vida à procura de uma voz. A melodia do homem nasce dessa busca incessante: descobre-se quando nos descobrimos. Não foi fácil: desaprender custa mais do que aprender. Estarei agora, ao menos, mais perto desse dizer que ajude outros a falar?».


COM OS OLHOS

Talvez um dia. Talvez um dia alcancemos essa voz, já sem o peso da luz sobre os ombros. Os olhos chegarão então ao fim da sua tarefa; os olhos, instrumentos felizes da realidade mais real. Porque ver sempre foi tocar. Tocar uma a uma cada coisa com os olhos, antes da mão se aproximar para recolher os últimos brilhos de setembro. Vede como se afasta com fulva lentidão de tigre.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

poesia em prosa
Sofia Micalli | 2019-09-06
Eugénio de Andrade é único. A sua poesia, seja ela como for, é sempre maravilhosa em todos os aspectos. Transporta-nos para onde Eugénio de Andrade nos quiser levar. E nós deixamo-nos levar por ele. Sempre. Lisboa com os seus jacarandás, uma cidade do sul, uma quinta onde canta um galo e em tudo o que ele "toca" transforma-se em poesia. "era um verão vagaroso, só lá para o fim algumas folhas caíram nos canteiros.Eram escarlates, sobre o muro."
Poesia para aprender a ver
Sara Marina Barbosa | 2019-02-23
Vertentes do Olhar é um livro de poemas em prosa cheio poesia em estado puro.Com a exactidão que lhe é habitual, Eugénio de Andrade ensina-nos a olhar o mundo, com as tonalidades exteriores e interiores. Leva-nos à infância, a sua e a nossa, revisita as memórias, os amores e o tempo passa, diante dos olhos do leitor. A luz, o brilho, o silêncio e a melancolia: a vida, portanto.

DETALHES DO PRODUTO

Vertentes do Olhar
ISBN: 978-972-37-1895-9
Edição/reimpressão: 04-2016
Editor: Assírio & Alvim
Código: 79440
Idioma: Português
Dimensões: 147 x 205 x 9 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 88
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Literatura > Poesia
Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, nasceu a 19 de janeiro de 1923 no Fundão. Manteve sempre uma postura de independência relativamente aos vários movimentos literários com que a sua obra coexistiu ao longo de mais de cinquenta anos de atividade poética. Revelou-se em 1948, com As Mãos e os Frutos, a que se seguiria, em 1950, Os Amantes sem Dinheiro. Os seus livros foram traduzidos em muitos países e ao longo da sua vida foi distinguido com inúmeros prémios, entre eles o Prémio Camões, em 2001. Morreu a 13 de junho de 2005 no Porto, cidade que o acolheu mais de metade da sua vida.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK