2019-05-03

Momentos Estelares da Humanidade

Episódios que mudaram o mundo, por Stefan Zweig

Partilhar:

A 9 de maio, a Assírio & Alvim publica Momentos Estelares da Humanidade, de Stefan Zweig, conjunto de catorze episódios nos quais o escritor austríaco narra alguns dos momentos que mudaram o curso da História.

Nestas miniaturas, Stefan Zweig revela-nos como a contribuição individual do ser humano, com o seu poder de criar e de descobrir, e o seu desejo de transcender os limites impostos pelo espaço e pelo tempo, permitiu dar um rumo diferente e decisivo ao destino da humanidade. Entre os vários acontecimentos sumptuosamente descritos pelo autor, assistimos à conquista de Bizâncio pelos turcos, à descoberta do oceano Pacífico pelo aventureiro Vasco Núñez de Balboa, às circunstâncias em que surgiu o hino A Marselhesa, às peripécias da montagem da primeira linha telegráfica transatlântica, à história de amor que inspirou Goethe para a criação da sua Elegia de Marienbad e à crise que levou Händel a compor o glorioso Messias.
«O que normalmente se desenrola devagar, de maneira sucessiva ou sincrónica, comprime-se num único instante que determina e decide tudo […] Procuro aqui evocar, a partir das mais variadas épocas e regiões, alguns desses momentos estelares; chamei-lhes assim porque, resplandecentes e inalteráveis como estrelas, brilham para além da noite do efémero.»

O AUTOR

Stefan Zweig nasceu a 28 de novembro de 1881 em Viena e é um dos mais importantes autores europeus da primeira metade do século XX. Dedicou-se a quase todas as atividades literárias: foi poeta, ensaísta, dramaturgo, novelista, contista, historiador e biógrafo. De ascendência judaica, empreendeu em 1934 um exílio voluntário da Áustria, então sob domínio do regime fascista de Dollfuss (austrofascismo), e viveu na Inglaterra, nos Estados Unidos da América e no Brasil, onde se viria a suicidar em 1942. Da sua extensa obra, destacam-se as novelas Amok (1922) e Confusão de Sentimentos (1927), a biografia Magalhães, o Homem e o seu Feito (1937), o ensaio Brasil, País do Futuro (1941) e a autobiografia O Mundo de Ontem (1942). A Novela de Xadrez foi a sua obra derradeira, concluída pouco antes do seu suicídio, a 22 de fevereiro de 1942.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK