2021-11-19

Pedro Eiras finalista do Prémio Oceanos

Inferno é o único livro de poesia entre as 10 obras selecionadas e um dos dois títulos de autores portugueses ainda a concurso

Partilhar:

Primeira parte de um tríptico inspirado na obra de Dante Alighieri e do qual faz também parte Purgatório (2021), Inferno está entre os 10 finalistas do Prémio Oceanos de literatura em língua portuguesa, anunciados esta quinta-feira numa sessão live streaming. Pedro Eiras é assim um dos dois autores portugueses candidatos ao galardão internacional cuja lista de potenciais vencedores ficou agora reduzida a oito romances, um livro de contos e um livro de poesia assinados por autores oriundos do Brasil, Moçambique, Timor-Leste e Portugal.

 

Na primeira etapa do prémio, um júri de 95 profissionais avaliou 1.835 livros, dos quais foram selecionados 54 semifinalistas. Agora, sete jurados eleitos pelo primeiro júri escolheram os 10 finalistas. Os vencedores serão conhecidos no início de dezembro. O prémio tem valor pecuniário total de 250 mil reais: o livro vencedor recebe 120 mil reais (27 mil euros), o segundo classificado recebe 80 mil reais (18 mil euros) e o terceiro lugar é contemplado com 50 mil reais (11 mil euros).

 

Pedro Eiras nasceu no Porto em 1975. Desde 2001, publicou obras de ficção (Bach, Cartas Reencontradas de Fernando Pessoa a Mário de Sá-Carneiro, A Cura), teatro (Um Forte Cheiro a Maçã, Uma Carta a Cassandra, Um Punhado de Terra, Bela Dona), ensaio (Esquecer Fausto, Tentações, Os Ícones de Andrei, Constelações, Platão no Rolls-Royce) e poesia (Inferno e Purgatório). Publicou vários livros em França, na Roménia, no Brasil. As suas peças de teatro foram encenadas e lidas em dez países. É Professor de Literatura Portuguesa na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK