2018-02-20

Poemas da Antologia Grega

Livro tem as suas origens naquela que foi a primeira antologia conhecida na Grécia

Partilhar:

Poemas da Antologia Grega, que a Assírio & Alvim publica a 22 de fevereiro, é um livro que reúne um conjunto de poemas de vários autores gregos, em versões portuguesas de José Alberto Oliveira feitas a partir de traduções em inglês.

Os poemas aqui reunidos foram selecionados da Antologia Grega, também conhecida como Antologia Palatina, uma recolha de poemas, sobretudo epigramas, escritos entre o século VII a.C. e o século VI d.C. Tem as suas origens naquela que foi a primeira antologia conhecida na Grécia, uma recolha de epigramas preparada por Meleagro no século I a.C. No prefácio a essa recolha, Meleagro descreve a organização dos poemas como uma grinalda de flores, colocadas em conjunto com unidade e propósito – uma Antologia, palavra que desde então se tornou corrente para designar uma coleção de trabalhos literários. O trabalho inicial de Meleagro foi sendo continuado ao longo de séculos, por diversos autores e editores, até chegar a conter mais de 4000 poemas, incluindo epitáfios e orações.

Rufinus

Quando Pallas e Hera de sandálias douradas viram Maionis, do fundo da alma
exclamaram: não nos despiremos, de novo,
chega sermos vencidas uma vez.

Onde está Praxíteles, onde
as mãos de Polycleitus,
que deram vida às antigas obras
de arte? Quem modelará
o cabelo de Melite, os olhos
fogosos, a maravilha do seu
pescoço? Onde os escultores,
onde os cinzeladores? Tal
beleza, como a efígie
de uma deusa, merece um templo.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK