O Inspector

O Inspector

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
ISBN:978-972-37-1408-1
Edição/reimpressão:03-2009
Editor:Assírio & Alvim
Código:78886
Coleção:Imaginario
ver detalhes do produto
15,50€I
-10%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
15,50€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio 24H
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

A publicação de O Inspector em português é a nossa homenagem a Gógol na passagem do bicentenário (1 de Abril de 1809) do seu nascimento. O Inspector foi estreado em19 de Abril de 1836 noTeatro Aleksandrínski de Petersburgo, na presença do imperador e da alta sociedade. Foi um êxito e um escândalo: a farsa foi aplaudida pelos liberais e atacada pelos conservadores. A partir de então, como era habitual no instável Gógol - um fervoroso conservador -, instalou-se um grave mal-entendido entre a peça e o seu autor, e este passou a justificar-se, a arranjar, a reescrever a sua comédia durante mais de 10 anos. Mas era uma comédia que já não lhe pertencia e seguia o seu caminho com independência e fereza.
«O Inspector é o ponto culminante do riso na obra de Gógol, a sua criação mais cómica, mais irremissivelmente cómica», diz Andrei Siniávski, o grande especialista russo da obra de Gógol.No entanto, a natureza ambivalente do homem e do artista Gógol - os elementos antinómicos de pesadelo de um lado e os do riso desenfreado do outro - traçam juntos as linhas definidoras desta comédia que revolucionou o teatro russo.Otema do falso inspector foi-lhe dado por Púchkin («dê-me um tema, divertido ou não, mas que seja um episódio verdadeiramente russo»—assim escreveu o autor ao seu poeta protector), e deve sublinhar-se este verdadeiramente russo.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

ler para refletir
Paulo jorge |2017-09-04
Obra que nos mostra a condição humana, a consciência da culpa, a culpa politica e dos que se servem dos cargos que ocupam, para monopolizarem e gerir quase só interesses pessoais. Uma obra actual, em tom de comédia, reflexiva e que também nos assusta, pois , tantos anos passados....e tudo continua tão igual.

DETALHES DO PRODUTO

O Inspector
ISBN:978-972-37-1408-1
Edição/reimpressão:03-2009
Editor:Assírio & Alvim
Código:78886
Coleção:Imaginario
Idioma:Português
Dimensões:135 x 210 x 54 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:208
Tipo de Produto:Livro
Nikolai Gógol, autor clássico da literatura russa, nasceu a 20 de março de 1809 (1 de abril pelo nosso calendário gregoriano) na província de Poltava (Ucrânia), no seio de uma família de médios proprietários rurais (1200 hectares e 200 servos da gleba). Partiu jovem para Petersburgo, onde começou por ocupar sucessivos empregos em ministérios, foi professor, ao mesmo tempo que ia escrevendo e publicando em revistas. Passou grande parte da sua vida em viagens pelo estrangeiro e pela Rússia.
Das suas obras destacam-se as coletâneas de contos Noites na Granja ao Pé de Dikanka (1831-32), Mírgorod (1835), os Contos de São Petersburgo («Avenida Névski» [1834], «Diário de um Louco» [1834], «O Nariz» [1836], «O Retrato» [1841] «O Capote» [1841], e «A Caleche» [1836]) e as peças de teatro O Inspector (1836) e O Casamento (1842). O romance Almas Mortas, do qual só o primeiro tomo ficou completo, foi publicado em 1842.
Depois de uma lenta agonia, Nikolai Gógol morreu de doença nervosa e desespero espiritual a 21 de fevereiro (4 de março pelo nosso calendário) de 1852.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK