2017-10-04

Daniel Jonas regressa ao soneto com Oblívio

Novo livro de poesia do autor é publicado na Assírio & Alvim

Partilhar:

Daniel Jonas regressa ao soneto com Oblívio, que chega hoje às livrarias, e é um desconcertante e surpreendente livro que nos traz de novo «(…) tempos diversos: o clássico, o romântico, o moderno, numa apoteose de rastos e linhagens que comparecem subtilmente», como afirmou António Guerreiro no preâmbulo a uma entrevista feita ao autor (Público, 2014). Na Assírio & Alvim estão também publicados os livros Bisonte e , vencedor do Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes da APE. Como nos diz o poeta, «Assim no meu soneto aqui gravei / Quem não sou nem fui e menos serei.»


Jamais tive eu amor senão por ti.
Paixões o vento as trouxe e as levou
Qual ave migratória que pousou
Em temporário ninho onde vivi.
Amor, porém, é ave que povoa
O coração da gente e nele exulta
E ocupa de outra ave mais estulta 
O coração partido e o perdoa. 
Mas que fazer, se amor o dei ao vento 
E sinto o coração ninho vazio 
E sinto um grão calor e grande frio 
E amo em oração no meu convento? 
Eu amo quem amei e me deixou; 
Não amo quem pousou — só quem voou. 

SOBRE O AUTOR


Daniel Jonas é poeta, dramaturgo e tradutor. 
Enquanto poeta, publicou, entre outros, Sonótono (Cotovia, 2006), que lhe valeu o prémio PEN de Poesia e  (Assírio & Alvim, 2014), galardoado com o Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes da APE. Foi ainda um dos sete poetas nomeados para o Prémio Europeu da Liberdade, pelo seu livro Passageiro Frequente (Língua Morta, 2013), traduzido em polaco por Michal Lipszyc. Antes tinha sido distinguido com o prémio Europa David Mourão-Ferreira, da Universidade de Bari/Aldo Moro, pelo conjunto da sua obra. 
Traduziu vários autores, entre os quais John Milton, Shakespeare, Waugh, Pirandello, Huysmans, Berryman, Dickens, Lowry, Henry James e William Wordsworth. 
Como dramaturgo, publicou Nenhures (Cotovia, 2008) e escreveu EstocolmoReféns e o libreto Still Frank, todos encenados pela companhia Teatro Bruto.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK