Estar em Casa

avaliação dos leitores (5 comentários)
(5 comentários)
Formatos disponíveis
14,40€ I
12,96€ I
-10%
24H
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
EM
STOCK
14,40€ I
12,96€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I Em stock - Envio 24H

SINOPSE

Depois de Bandolim e Manhã, Estar em Casa é o mais recente livro de poesia de Adília Lopes, que completa esta trilogia de forte componente autobiográfica e acompanhada de fotos incluídas pela autora. Agora na sua segunda edição, revista e aumentada.

Sou deste lugar
como as árvores
e as casas
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

A complexa simplicidade poética
Gil Ismael Braga Monteiro | 2020-06-04
A obra poética que Adília Lopes agora propõe revela uma visão intimista, autobiográfica, numa revisitação da sua infância, consignada nas fotografias de família com que abre o livro de poesia, bem como nos poemas e prosa poética que, ao longo da obra, vamos conhecendo pelas suas mãos. A par disso, a poeta revela ao mesmo tempo, nestes textos, a sua interação com a poesia (no diálogo com outros poetas) e com o seu mundo.
Humor sem fronteiras
Adriana C | 2020-05-10
Um livro diferente com poemas cheios de humor honesto.

DETALHES DO PRODUTO

Estar em Casa
ISBN: 978-972-37-2120-1
Edição/reimpressão: 03-2020
Editor: Assírio & Alvim
Código: 79485
Idioma: Português
Dimensões: 147 x 205 x 9 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 104
Tipo de Produto: Livro
Adília Lopes, pseudónimo literário de Maria José da Silva Viana Fidalgo de Oliveira, nasceu em Lisboa, em 1960. Frequentou a licenciatura em Física, na Universidade de Lisboa, que viria a abandonar quando já estava prestes a completá-la. Começa a publicar a sua poesia no Anuário de Poetas não Publicados da Assírio & Alvim, em 1984. Antes disso, em 1983, começa uma nova licenciatura, em Literatura e Linguística Portuguesa e Francesa, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Pelo meio, antes de a terminar, publica o seu primeiro livro de poesia, Um Jogo Bastante Perigoso, em edição de autor (1985). Em 2000 publica Obra, a reunião da sua poesia e, em 2009, Dobra, que amplia a edição anterior com o que foi publicado entretanto, tal como de resto acontece com a mais recente edição de 2014, aumentada e revista. Tem colaborado em diversos jornais e revistas, em Portugal e no estrangeiro, com poemas, artigos e poemas traduzidos.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK