Bandolim

Bandolim (eBook)

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Formatos disponíveis
9,99€I
-10%
COMPRAR
-10%
9,99€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IDisponibilidade Imediata
IEBOOK PARA WOOK READER

SINOPSE

Aranhas, árvores, gatos, biografia, memórias. Não necessariamente por esta ordem. «Bandolim» é o mais recente livro de Adília Lopes, de que aqui deixamos um poema:

MODUS OPERANDI

Nunca consegui escrever nada com projectos, planos, programas, esquemas, prazos. Grão a grão, verso a verso, enche a galinha o papo. Pôr o carro à frente dos bois. Assim é que funcionou para mim.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Adília Lopes e seu Bandolim
André Morais |2018-05-24
Extraordinário livro de Adília Lopes. Em seu "Bandolim, a poeta nos convence, mais uma vez, de que a sua biografia é fundamental para compreensão do seu projeto estético. Em uma escrita límpida, clara, Adília Lopes abre suas recordações ao público leitor. Além disso, expõe fotografias de seu acervo pessoal, assinalando o "amadurecimento" da poeta. Amadurecimento entre aspas, pois a criança de 1964, rodeada por pombos, é a mesma criança hoje rodeada pelos versos maravilhosos, que pouco, ou quase nada, devem à tradição poética da poesia pós-Pessoa. A sua obra é um monumento da humanidade, assim como as pirâmides do Egito e a árvore à frente da casa da poetisa.

DETALHES DO PRODUTO

Bandolim (eBook)
ISBN:978-972-37-1917-8
Edição/reimpressão:10-2016
Editor:Assírio & Alvim
Código:68764
Idioma:Português
Páginas:240
Tipo de Produto:eBook
Adília Lopes, pseudónimo literário de Maria José da Silva Viana Fidalgo de Oliveira, nasceu em Lisboa, em 1960. Frequentou a licenciatura em Física, na Universidade de Lisboa, que viria a abandonar quando já estava prestes a completá-la. Começa a publicar a sua poesia no Anuário de Poetas não Publicados da Assírio & Alvim, em 1984. Antes disso, em 1983, começa uma nova licenciatura, em Literatura e Linguística Portuguesa e Francesa, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Pelo meio, antes de a terminar, publica o seu primeiro livro de poesia, Um Jogo Bastante Perigoso, em edição de autor (1985). Em 2000 publica Obra, a reunião da sua poesia e, em 2009, Dobra, que amplia a edição anterior com o que foi publicado entretanto, tal como de resto acontece com a mais recente edição de 2014, aumentada e revista. Tem colaborado em diversos jornais e revistas, em Portugal e no estrangeiro, com poemas, artigos e poemas traduzidos.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK