Três Cartas a Milena Jesenská

Três Cartas a Milena Jesenská

ISBN: 978-972-37-0751-9
Edição/reimpressão: 04-2003
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78005
ver detalhes do produto
9,00€ I
-10%
24H
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
24H
EM
STOCK
9,00€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Em stock - Envio 24H

SINOPSE

O primeiro contacto entre Milena Jesenská (1896-1944) e Franz Kafka ocorre em Outubro de 1919. "Impressionada com a qualidade da escrita de Kafka, Milena escreve-lhe uma carta, pedindo autorização para traduzir para checo alguns dos seus mais conhecidos textos. Em 1920, sairá então, na revista Kmen, a tradução do fragmento O Fogueiro (a primeira para uma língua estrangeira), a que se seguirão outras de outros pequenos textos de Kafka. Este contacto marca o início de uma longa correspondência entre ambos. O tom amigável e profissional das primeiras cartas de Milena, que Kafka recebe em Merano [Tirol do Sul], onde se encontrava em tratamento, transforma-se gradualmente numa relação epistolar apaixonada que durará cerca de dois anos. […] A correspondência entre ambos é o testemunho da paixão vivida numa situação de turbulência emocional e que, no caso de Kafka, existindo apenas em forma de monólogo, constitui uma tentativa desesperada de confiar à destinatária, em quem encontra a sua alma gémea, os seus mais recônditos segredos." (Álvaro Gonçalves)
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Três Cartas a Milena Jesenská
ISBN: 978-972-37-0751-9
Edição/reimpressão: 04-2003
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78005
Idioma: Português
Dimensões: 146 x 205 x 5 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 48
Tipo de Produto: Livro

sobre Franz Kafka

Franz Kafka nasceu em 1883, em Praga, numa família da média burguesia judia de expressão alemã. Tendo concluído os estudos jurídicos com o título de Doutor em Direito em 1906, começou dois anos depois a revelar os seus primeiros textos em revistas literárias. A Metamorfose, novela que viria a afirmar-se como uma das suas obras de referência, foi publicada em 1915. Publicou em vida apenas sete pequenos livros, três deles antologias de textos e contos. A 3 de junho de 1924, não resistindo à tuberculose que havia contraído em 1917, morreu num sanatório em Kierling, a poucos quilómetros de Viena, deixando três romances fragmentários que seriam publicados postumamente pelo seu amigo e testamenteiro Max Brod: O Processo (1925), O Castelo (1926) e América (1927). A sua obra, centrada no homem solitário moderno, refém de uma vida absurda, tornar-se-ia uma das mais influentes do mundo literário do século XX.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK